Psicoterapeuta Perdizes

IMG_20190322_131525611.jpg

Principais formações

Pensamentos & Pensadores que influenciam

minha atitude clínica

ao longo de 34 anos

 

PSICOLOGIA ANALÍTICA (JUNGUIANA)

 “Onde o amor impera, não há desejo de poder; e onde o poder predomina, há falta de amor.

Um é a sombra do outro”.    Carl Jung

 

 

A análise junguiana é um relacionamento dialético de longo prazo entre duas pessoas, o Analista e o Paciente (analisando), dirigida para uma investigação do inconsciente do paciente, seus conteúdos e processos, a fim de aliviar uma condição psíquica sentida como não mais tolerável por causa das interferências  que tem na vida consciente. 

 

A Psicologia Analítica, conhecida também como Psicologia Junguiana, surgiu no inicio do séc. XX com as idéias do psiquiatra suíço Carl Gustav Jung e seus estudos sobre o inconsciente.  Seu interesse pelo mundo dos sonhos e pelas profundezas da alma humana levou-o a descobertas surpreendentes que revelam um universo simbólico dentro de nós.

 

ANÁLISE DE CARÁTER REICHIANA

“O amor, o trabalho e o conhecimento são as fontes de nossa vida. Deveriam também governá-la.”  Wilhelm Reich 

 

 

De acordo com Reich, o caráter é composto das atitudes habituais de uma pessoa e de seu padrão consistente de respostas para várias situações.  É a estrutura típica de cada indivíduo, sua maneira estereotipada de agir e reagir.  O conceito orgonômico de caráter é funcional e biológico, não um conceito estático, psicológico ou moralista.  

São atitudes e valores conscientes, estilos de comportamento (timidez, agressividade e assim por diante) e atitudes físicas (postura, hábitos de manutenção e movimentação do corpo).  O caráter se forma como uma defesa crônica contra um medo primário. A primeira defesa contra este medo é o Mecanismo de Defesa do Ego, conhecido por repressão.  Esse mecanismo refreia os impulsos por algum tempo.  Mas, com o passar do tempo as Defesas do Ego se tornam crônicas e automáticas e evoluem para traços de caráter até se criar uma couraça.

Reich diferencia traços de caráter neuróticos de sintomas neuróticos. A diferença entre esses traços neuróticos e os sintomas neuróticos está no fato de que:

-   Sintomas Neuróticos como os medos, fobias, síndromes de pânico etc são experimentados como estranhos e exteriores à pessoa que os sofre.

-  Traços de Caráter Neuróticos como organização excessiva, timidez, dificuldades de entrega, auto-suficiência excessiva etc são experimentados como partes integrantes da própria personalidade.

As defesas de caráter são difíceis de se eliminar por serem bem racionalizadas pelo indivíduo e compreendidas por ele como parte de sua natureza.  Cada atitude de caráter tem uma atitude física correspondente, ou seja, o caráter tem uma expressão corporal que pode ser percebida sob a forma de rigidez muscular, o que chamamos Couraça Muscular do Caráter.  

A conscientização dessas defesas crônicas e o trabalho sobre cada uma delas possibilita a transformação interna que se reflete tanto na atitude mental e na vida emocional quanto na postura física.

ABORDAGEM CENTRADA NA PESSOA

“Ser empático é ver o mundo com os olhos do outro e não ver o nosso mundo refletido nos olhos dele”. Carl Rogers

 

 

A Abordagem Centrada na Pessoa é uma linha humanista desenvolvida por Carl Rogers e tem como pressuposto básico a Tendência Atualizante. Todo ser humano, assim como todo organismo vivo é naturalmente dirigido ao crescimento, à realização e à saúde.

Rogers parte do princípio de que a relação psicoterapêutica é também uma relação de igualdade entre duas pessoas.  É através dessa abordagem humana que se cria um clima de liberdade e aceitação, favorecendo o desabrochar dos melhores talentos humanos para se construir a felicidade íntima.  

 

A abordagem centrada na pessoa "tem como objetivo direto, uma maior independência e integração do indivíduo, ao invés de esperar que tais resultados derivem do auxílio dado pelo orientador à solução do problema.  O objetivo não é resolver um problema particular, mas auxiliar o indivíduo a crescer de modo que possa enfrentar o problema presente e os posteriores de uma maneira mais integrada."    (Rogers, Carl - 1940).

 CONSCIENCIOLOGIA

"O mundo íntimo da consciência é muito mais interessante que o universo exterior.”  Waldo Vieira
 

 

(Latim: con scientia; com conhecimento; Grego: logos, tratado) - Ciência que estuda a consciência (ego, alma, essência) em uma abordagem integrada, abrangente ou globalizante. Ou seja, estuda todos os seus instrumentos de manifestação (corpos), em todas as dimensões, com todas as suas energias, capacidades e atributos parapsíquicos lúcidos e cosmoéticos muito além das investigações convencionais das demais ciências modernas.

A consciência é o mesmo que ego, alma, espírito, essência, eu, individualidade, personalidade, pessoa, self, ser, sujeito, dentre outros termos. A consciência é você. 

 

A abordagem profunda da Conscienciologia visa promover a transformação da própria personalidade em um agente catalisador da evolução e maturidade e a obtenção de um nível máximo de desrepressão.

SISTEMA BIODANZA

“No asfalto rachado, os gerânios estouram” Rolando Toro

 

 

A Biodança foi criada na década de 60 pelo Antropólogo e Psicólogo  Rolando Toro de Arañeda. Rolando Toro nasceu no Chile em 1924, onde ocupou a cátedra de Psicologia da Arte e da Expressão, na Pontifícia Universidade Católica de Santiago e foi docente no Centro de Estudos da Antropologia Médica na Universidade do Chile. Implantou a Biodança que se expandiu para os demais países da América Latina e no Brasil conta com Escolas de Formação em todas as capitais.

Em 1992 Rolando Toro se mudou para Milão (Itália) onde fundou a Escola Européia de Biodança e de lá coordenou as atividades de Biodança no mundo inteiro, até 1997 quando voltou para o Chile. Atualmente coordena a Escola Modelo de Biodança na qual se concentra o curso de atualização e formação de professores didatas.

 

A Biodança é um Sistema de Desenvolvimento Humano no qual a música e o movimento formam uma unidade coerente com a emoção. Seus principais objetivos são desenvolvidos nas seguintes linhas:

Vitalidade: é o ímpeto vital, a energia que a pessoa tem para enfrentar o mundo, potencial de harmonia e quilíbrio.  Convite ao Movimento.

Criatividade: é o elemento de renovação que deve aplicar-se à própria vida. Criar a si mesmo e dar sentido a cada ato. Convite à Expressão.                            

Sexualidade: dissolução gradativa das couraças caracteriológicas que bloqueiam nossa sensibilidade. Convite à Integração.

Afetividade: é o amor indiscriminado pelo ser humano. O útero afetivo que cada um tem e que     possibilita o dar e o receber. Convite à Nutrição.

Transcendência: é a capacidade de ir além do ego e integrar unidades cada vez maiores.  Conexão com a totalidade. Convite à harmonia com o ambiente.